---

  • ?
  • ?

---

  • ?
  • ?


Não deixe o isolamento social interferir na saúde mental

Publicado em 22/05/2020 às 16:39 - Atualizado em 22/05/2020 às 16:39


Créditos: Ana Cláudia Tasca Baixar Imagem

A pandemia do Coronavírus se espalhou pelo mundo rapidamente e para conter a disseminação desse novo vírus, uma das principais medidas é o isolamento social. A primeira recomendação é que as pessoas devem ficar em casa a maior parte do tempo. Entretanto o isolamento social também pode trazer consequências negativas principalmente à saúde mental, em que as pessoas podem sentir-se sozinhas ou ansiosas além do normal. Para quem já sofre de um transtorno mental como a depressão ou o transtorno de ansiedade, pode inclusive agravar o quadro.

Neste período, é normal ocorrerem sentimentos de tristeza, desanimo e preocupação, principalmente por estarmos diante de uma situação de grandes mudanças, em que foi necessário se adaptar a uma nova rotina e criar novos hábitos. Mas também é muito importante respeitarmos nossos próprios sentimentos. É importante reconhecer estas emoções novas que vem surgindo. Para manter uma saúde mental adequada nesse momento a dica é buscar algumas medidas para aliviar a angústia e a ansiedade.

Devemos tomar cuidado com o excesso de informações, que pode inclusive ser um gatilho pra quem sofre de ansiedade. Estamos a todo o momento sendo bombardeados com informações, muitas vezes já não sabemos mais em que acreditar de fato, então devemos tomar cuidado com esse excesso. Devemos manter uma rotina com horários estabelecidos, pois estando mais em casa podemos bagunçar nossos horários, nossa rotina, e isso vai refletir no nosso organismo física e emocionalmente. Praticar exercícios leves, exercícios de respiração, meditação que ajudam a nos manter mais equilibrados, além de manter uma alimentação saudável.

Tentar neste momento usar a tecnologia a nosso favor para nos unir, fazendo chamadas de vídeo, por exemplo, e experimentando novas formas de nos aproximarmos das pessoas, por que afinal estar isolado não significa estar sozinho. Agora também é uma oportunidade para dedicar-se a um hobby, algo que você gosta de fazer, mas que sempre teve que adiar por causa da falta de tempo. Aproveite, já que estamos com mais tempo livre e em casa.

Se for preciso procure ajuda de psicólogos ou profissionais da saúde. Hoje vários psicólogos já estão disponibilizando atendimentos online. Procure sempre um psicólogo cadastrado.

Pode parecer que neste momento seja muito difícil ficar longe das pessoas que gostamos e manter os nossos vínculos. Mas precisamos lembrar que a quarentena é uma medida temporária e está acontecendo pelo bem de nossa saúde.

O que percebemos é que apesar de todas as recomendações para que o distanciamento social aconteça, muitas pessoas ainda não estão cumprindo esse isolamento de fato. Ainda vemos muitas reuniões entre amigos acontecendo, vizinhos se visitando e compartilhando o bom e velho chimarrão e essas situações podem contribuir para a propagação dos vírus.

Precisamos estar conscientes disso. Nós estamos vivendo uma situação em que não tem espaço para o egoísmo. Precisamos ser empáticos e ter uma consciência coletiva. A maioria de nós nunca vivenciou uma crise como esta e todos nós estamos assustados ou preocupados. Quem é jovem tem medo de contrair o Coronavírus, de transmitir para os pais, para os avós. Quem é do grupo de risco tem medo de adoecer.

Então no fundo estamos todos no mesmo barco e a gente precisa respeitar os sentimentos uns dos outros. Precisamos mais do que nunca nos colocar no lugar do outro e toda vez que você tomar a decisão de fazer algo que possa aumentar o contágio, você precisa pensar em todas as outras pessoas que vão ser atingidas por isso, principalmente as pessoas do grupo de risco.

Para mim pode ser que seja apenas um resfriado, mas e para os meus pais, e para a vó da minha amiga, e pro meu irmão que é diabético? Hoje só há um caminho pra superar tudo isso que está acontecendo. Lutando juntos e pensando nos outros além de nós mesmos. Portanto, podemos deixar a visita para mais tarde, logo tudo isso vai passar e nós estaremos juntos novamente.

Texto de Katia Raquel Saugo, Psicóloga do Departamento de Assistência Social de Formosa do Sul.